UNESCO

Tradutor

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

DEUS DA JUSTIÇA XANGÔ

        
XANGÔ DEUS DA JUSTIÇA







































XANGÔ: É o Orixá da justiça, dos raios, do trovão e do fogo. De origem iorubá, seu mito conta que foi rei da cidade de Oyo, identificado no jogo do merindilogun pelos odus obará e ejilaxebora e representado material e imaterialmente no candomblé através do assentamento sagrado denominado igba Xangô. Pierre Verger dá, como resultado de suas pesquisas, que Shango ou Xangô, como todos os outros imolè (orixás e eboras), pode ser descrito sob dois aspectos: histórico e divino.


XANGÔ: No secretismo para a Umbanda e São Miguel  Arcanjo!


SHANGO: No secretismo para o Candomblé e São Jerônimo! 

Ambos os nomes mencionados para o secretismo são Entidades que estão ligadas a Justiça Divina.

A quem ache que as Entidades consideradas Orixá são apenas energias da natureza, pois eu afirmo que estão totalmente errados porque como Médium e Sacerdote dos cultos Afros, afirmo que as Entidades Orixá não são apenas energias mas sim tenhem, corpo plasmático, que os fazem ser desencarnados como qualquer ser Profético!  Pois minhas experiências com Estas Entidades são variadas, e afirmo o que digo pois não brinco com o poder que provem de nosso Pai Eterno " Deus " .

XANGÔ: Tem como função na Terra ser o Orixá da Justiça, está ligado as questões jurídicas, e é o protetor dos JUÍZES, tendo como nome São Jerônimo.

Filhos de XANGÔ e até seus protegidos, de costume são pessoas muito impulsivas, ( Pessoas que toma decisões ou apliquem justiça a  alguém sem pensar nas consequências, mas que depois ao refletir podem arrepender-se ou não. Isso varia de pessoa para pessoa, ) por muitas vezes ao aplicar justiça não se pode inverter o ponto de aplicação, a não ser que provam fatos ao contrario.

Poderia falar muito mais sobre este grande Orixá da Justiça, mas teríamos uma grande edição de mais de 1000 páginas!
Mas ficaremos por aqui hoje haveremos de desmistificar mais sobre este ORIXÁ XANGÔ! 

O Jornalista: Sacerdote Carlos Dias  
  

Sem comentários:

Enviar um comentário