UNESCO

Tradutor

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

IANSÃ ORIXÁ DA JUSTIÇA

IANSÃ ORIXÁ DA JUSTIÇA
IANSÃ: Santa Barbara no secretismo para Umbanda , Joana D`Arc para o Candomlé .


IANSÃ ou OYÁ, a Deusa do Rio Níger, é representada com um alfange e uma cauda de animal nas mãos, e com um chifre de búfalo na cintura. Na mitologia iorubá, Xangô casou-se com três de suas irmãs, Deusas de rios: OYÁ, OXUM (Deusa do rio Osun) e OBÁ (Deusa do rio Obá). Nas lendas provenientes do Candomblé, IANSÃ foi mulher de OGUM e depois de XANGÔ, seu verdadeiro amor. XANGÔ roubou-a de OGUM.

O nome IANSÃ é um título que OYÁ recebeu de XANGÔ. Esse título faz referência ao entardecer, IANSÂ pode ser traduzido como "a mãe do céu rosado" ou "a mãe do entardecer". Ao contrário do que muitos pensam, IANSÃ não quer dizer "a mãe dos nove". XANGÔ a chamava de IANSÃ pois dizia que OYÁ era radiante como o entardecer ou como o céu rosado e é por isso que o rosa é sua cor por excelência.

Na liturgia da Umbanda, IANSÃ é senhora dos Eguns, os espíritos dos mortos, menos cultuados no Candomblé. Na Umbanda, a guia de IANSÃ é de cor laranja (coral) e, no Candomblé, é vermelha. No Candomblé, também é chamada de OYÁ. Seu dia da semana é quarta-feira e sua saudação é Eparrei.


Aqui vai um pouco de nossa grandiosa ORIXÁ IANSÃ, senhora dos raios e dos ventos tendo como seu local energético, nas pedreiras de XANGÔ, nos bambuzais  e locais altos.

Também poderia falar muito mais de IANSÃ, mas teríamos de levar alguns dias a desmistificar. Por isto, haveremos de ir fazendo mais algumas publicações com tempo.

O Jornalista: Sacerdote Carlos Dias

Sem comentários:

Enviar um comentário